quinta-feira, 27 de outubro de 2011

SIMPÓSIO ACADEMIA-EMPRESA EM BELO HORIZONTE-MG


A Academia Brasileira de Ciências, o Sistema FIEMG e a FAPEMIG estão promovendo o Simpósio Academia-Empresa. A participação é gratuita, mas são apenas 150 vagas.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

INDICADORES DO PMK SE PRESTAM À PREVISÃO DE TRANSTORNO DE HUMOR?


Figura 1: Mesa de PMK

O PMK é utilizado pelas instituições militares do estado de Minas Gerais no processo seletivo. A vantagem de estudá-las no Brasil é que elas geralmente têm arquivados os resultados dos processos seletivos, e com muita paciência se consegue levantar os dados da trajetória dos sujeitos e construir uma base de dados com informações de desempenho, ocorrências médicas e psiquiátricas.
Este foi o trabalho que a Profa. Alina Vasconcellos fez durante longos dois anos, montando uma base de dados que nos permitisse verificar se os critérios de seleção utilizados realmente entregam o que prometem. Um trabalho ousado para uma dissertação de mestrado, em épocas de pressão por prazos, publicações e outras coisas que aumentam a ansiedade de orientadores e orientandos, que costumam fazer trabalhos menos desafiadores para não amargar o fracasso. Acho que tenho parte da culpa, conjuntamente com a Dra. Elizabeth do Nascimento, por incentivá-la nesta empreitada e orientá-la durante o processo.

Um das estratégias utilizadas foi comparar os resultados do PMK de militares que apresentaram episódios de transtorno de humor (há diversas modalidades) com os de um grupo de militares que nunca apresentaram este diagnóstico.

Resultado: Não houve diferenças entre os grupos clínicos e não clínicos (tônus vital, emotividade, agressividade, reação vivencial e predomínio tensional).  Este resultado põe em questão a informação do manual como dizem os autores do trabalho:

"Tendo como referência o manual técnico, tem-se delimitadas as características gerais em termos de personalidade normal, limítrofe e patológica, esta última englobando esquizofrenia, psicose maníacodepressiva, epilepsia, paranoia, entre outros." (Vasconcellos, Nascimento e Sampaio, 2011)

Outros aspectos da seleção foram estudados e outros trabalhos com base nesta pesquisa já estão submetidos à publicação. Quem desejar ler o artigo completo, já dá para acessar o Scielo e baixar gratuitamente:   http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-82712011000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Este trabalho não é suficiente para que se afirme que o PMK não deva ser utilizado em seleção e avaliação de personalidade, mas para qualquer profissional sério ele acende o sinal amarelo: são necessários mais estudos antes de se sair fazendo afirmações sobre pessoas com base nos dogmas de manual.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

AGENDE-SE: LIVRO INTERNACIONAL SOBRE TRAJETÓRIAS DE CARREIRAS

A professora Dra. Zélia Kiliminik organizou um livro sobre carreiras, com contribuições internacionais. Ele trata de carreiras multidirecionais, metáforas de carreiras, transições entre carreiras tradicionais e empreendedorismo em incubadoras de empresas, transições de gerência para docência e o oposto, vínculo do docente de ensino superior no Brasil, carreiras proteanas, âncoras de carreiras, carreira e vida privada de executivas, comparação entre carreiras de profissionais de recursos humanos.

Da "prata da casa", temos o prof. Anderson Sant'anna, Antônio Carvalho Neto, Antônio Virgílio, Betânia Tanure, Delba Barros, Diva Rowe, Leila Scanfone, Luiz Cláudio de Oliveira, Maria Lúcia Corrêa, Suzana Braga Rodrigues e a organizadora, Zélia Kiliminik.

Da "prata fora-de-casa"  temos Earl Simendinger (USA), George Puia (USA), Joanne Duberley (UK), Kerr Inkson (UK), Paula Mc Donald (AUS), Kerry Brown (AUS), Lisa Bradely (AUS), Michael Jasperson (USA), Yehuda Baruch (USA).

Vamos prestigiar?