quarta-feira, 2 de junho de 2010

MERCEARIA PARAOPEBA E ECONOMIA RURAL DE SUBSISTÊNCIA

Assista a um vídeo que mostra a história e o funcionamento de uma mercearia em Itabirito-MG


Abílio Barreto afirma que após o ciclo do ouro, boa parte da economia mineira tornou-se uma economia primordialmente rural e de subsistência. Nesta mercearia pode-se ver o escambo (troca de mercadorias), o fiado (venda em confiança, para ser paga no futuro), a anotação (registro das compras e acertos em livro), o comércio de produtos locais, que competem com os produtos industrializados (ou não, operam em um nicho de mercado), o fornecimento de matéria prima para obtenção de produtos artesanais (a deliciosa goiabada, que ele mostra) e muitos outros elementos de uma economia não industrial e comunitária.
Por quanto tempo ainda esta mercearia funcionará? Esta é uma boa pergunta, uma vez que parte de seus produtos são oriundos de pequenos produtores rurais e de trabalho doméstico. A escolarização e a industrialização, pari-passu ao desenvolvimento do comércio tornarão este negócio inviável? Espero que não.
Teorias à parte, curtam o belo trabalho de cinema e, ao visitar Itabirito, não deixem de conhecer ao vivo a Mercearia Paraopeba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário