sexta-feira, 31 de julho de 2009

UM NOVO TEMPO NA PÉRSIA?


Figura 1: Denário com Apolo Assentado

O Ameshapenta ouviu o estrategos gregos em sua Universidade.


Depois ele procurou uma pitonisa e conversou com Apolo que lhe disse:


"Eles acreditam que inauguraram um novo tempo. Só têm olhos para os seus acertos e para os erros do passado, mas são cegos para seus erros e para os acertos do passado."

Apolo, então, falou do futuro:


"Assim o farão os revolucionários franceses em 1793. Eles publicarão um calendário totalmente diferente do Juliano, tendo como ano 1 o da sua revolução. Qual o seu objetivo? Deixar marcado na mente das pessoas o acontecimento? Instaurar uma nova ordem psicológica na mente da população a partir do tempo? Simbolizar um rompimento com a antiga ordem? Talvez tudo isto."


- "Ingênuos!", disse Apolo. "A História tomará seu rumo e, em 1806, Napoleão Bonaparte abolirá o tal calendário, demarcando a volta ao novo passado, possível pelos seguidos erros dos revolucionários iludidos."

domingo, 19 de julho de 2009

RECRUTAMENTO VIA WEB

Figura 1: Enfermeira no computador
Por mais estranho que possa parecer o processo de contratação de novos trabalhadores é uma via de mão dupla. A empresa escolhe o candidato e o candidato escolhe a empresa em que deseja trabalhar.

É muito comum o corpo gerencial acreditar que todos estão precisando do trabalho e que o mercado de mão de obra está cheio de interessados em trabalhar na sua empresa, o que nem sempre é real.

A visão da mútua escolha, pressupõe um trânsito de informações entre candidato e empresa, para que se reduzam os problemas posteriores à contratação para os dois lados.


Informática e Seleção de Enfermeiros

Uma das iniciativas que as novas ferramentas da informática forneceram para a nossa área é a internet. O leito imediatamente imagina em usá-la da mesma forma que se utilizavam os currículos, como uma espécie de pombo correio para receber currículos de interessados e submeter currículos a agências, mas as possibilidades são muito maiores.

Um bom exemplo de uso da internet foi a pesquisa desenvolvida por Van Hoye e Lievens (2007). Eles selecionaram um segmento de difícil preenchimento que é o de enfermeiros (de nível superior, com pós-graduação). A demanda deste tipo de profissional é enorme na Europa e nos Estados Unidos e os qualificados têm muitas opções de lugares para trabalhar, podendo escolher entre diversos hospitais e clínicas.

Esta conformação do mercado de trabalho deste tipo de profissional torna-o dinâmico, porque se o profissional não está satisfeito com o trabalho, não há impedimentos formais para procurar outros.

Recrutamento via Web: a segunda via

Estes dois pesquisadores se interessaram em entender como qualificar melhor o recrutamento informando o candidato sobre o trabalho que realizará na organização. E estudaram outras questões intermediárias, como as diferentes fontes de informação sobre a organização, a credibilidade nestas fontes, o conteúdo da mensagem das diferentes fontes e a atratividade da organização que usa recursos via internet.
A segunda via a que nos referimos é o trânsito de informação para o candidato.

Recrutamento boca-a-boca
Além das tradicionais fontes controladas pela organização, com textos e informações do tipo propaganda ou do tipo depoimento, a internet possibilita que o interessado em participar do processo converse com um profissional empregado na organização.

Esta conversa, que vai desde as informações sobre a organização e o trabalho até a vivência do profissional, chamamos de boca-a-boca. Funciona com um instrumento tipo chat, hoje muito disponíveis e acessíveis à classe média. Em um futuro próximo será acessível às classes populares.

Resultados

Van Hoye e Lievens constataram que a associação de conteúdo e mensagem de recrutamento via web aumentaram a credibilidade e a atratividade dos candidatos. O uso de depoimentos da experiência individual formais e informais e de informações sobre a informação, formais e informais, alteram a atratividade e, melhor que isso, permitem que as escolhas pelo candidato sejam melhores, reduzindo o turnover posterior se as informações forem reais (tratarem de aspectos agradáveis e desagradáveis do trabalho) em vez de peças de publicidade preocupadas em "vender" a organização e a vaga.


segunda-feira, 6 de julho de 2009

OS AREOPAGITAS GREGOS


Figura 1: Anaké (a inevitabilidade), esposa de Chronos
O professor ameshapenta foi convocado a uma reunião de areopagitas. Ele foi acusado de evocar indevidamente o deus Chronos e de, como Persa ignorante que é, impedir a democracia.

O ameshapenta considera a democracia grega muito curiosa. Ela só é utilizada pelos gregos e para os gregos, apesar do belo discurso alexandrino. A democracia grega não dá direito aos Persas dirigidos pela Satrapia de Alexandre Magno, mesmo que cumpram as leis criadas pelos próprios gregos.

Pela sua blasfêmia com Kairós, os gregos foram punidos por Zeus. Ele foi implacável com os areopagitas. O ameshapenta viu quando Horæ, filha de Chronos, ordenou a Kairós que partisse. Kairós se foi e levou consigo o aditivo, documento grego utilizado pelos seus devotos para modificar a lei segundo seu arbítrio, em desrespeito aos filhos da grande nação persa.

Os gregos lamentaram e esbravejaram com altos brados, expressaram sua raiva e frustração contra o pequeno ameshapenta, mas Kairós já havia partido e levou consigo o tal aditivo.