sexta-feira, 11 de julho de 2008

O Que é Estresse Ocupacional?


A palavra estresse caiu na boca do mundo. Nos hospitais, quando alguém está irritado, comumente se ouve dizer: "Mal voltou de férias e já está estressado". Quando alguém está cansado costuma dizer: estou estressado hoje. O senso comum também emprega a palavra estresse para descrever quadros de ansiedade e tristeza.

Afinal de contas: o que é estresse?

Estresse é uma palavrinha que ganhou espaço nas ciências biológicas e humanas há pouco mais de 100 anos.

Os primeiros estudos foram curiosos: ao se colocar ratos em situação continuada de necessidade de adaptação ao ambiente (frio, calor, raios x, ruídos, dor, sangramento ou trabalho muscular continuado), observava-se sempre três reações comuns em seu organismo: aumento do córtex adrenal (região mais externa das glândulas supra renais), úlceras gastrointestinais, involução do timo e nódulos linfáticos. Permanecendo-se nesta condição adversa, surgem doenças conseqüentes destas alterações, que Hans Selye chamou de "doenças de adaptação". A lista destas possíveis doenças é grande, uma vez que a exaustão atinge diversos sistemas orgânicos.

Além dos fatores ambientais, com a evolução dos estudos viu-se que o mundo das relações interpessoais e da organização do trabalho pode atuar também como estressor do organismo. Criou-se o termo estresse laboral ou ocupacional.

Os estudos se complexificaram e, hoje, autores como Cooper, analisam as fontes de pressão, os moderadores (capacidade de adaptação do indivíduo, controle interno ou externo e tipo de personalidade), além de avaliar o estresse não apenas com indicadores biológicos, mas também com indicadores de satisfação no trabalho.

Mais informações podem ser encontradas no livro "Stress e Trabalho: Uma Abordagem Psicossomática", da Profa. Ana Cristina Limongi França em parceria com o Dr. Avelino Luiz Rodrigues.

Nenhum comentário:

Postar um comentário